Notícia
BAI MING PELA PRIMEIRA VEZ EM PORTUGAL, NA FUNDAÇÃO EDP

Dia 12 de julho, o MAAT abriu ao público a exposição do conceituado artista chinês, Bai Ming. ‘Branco e Azul | Bai Ming – Lisboa’ apresenta mais de 200 peças de cerâmica, desenho e pintura, que traçam uma rota de encontro e de fascínio entre o Oriente e o Ocidente. A obra de Bai Ming estará em exposição na Sala dos Geradores, no edifício da Central – que se transforma em espaço expositivo também pela primeira vez – e no recém-inaugurado Jardim do Campus Fundação EDP, entre os dias 12 de julho e 4 de setembro. Esta exposição está integrada no programa Cooperação Sino-Portuguesa e Resultados do Intercâmbio Cultural ao Abrigo da Iniciativa ‘Uma Faixa, uma Rota’.

Bai Ming é considerado um dos artistas que mais tem contribuído para a renovação e revitalização da criação artística chinesa no campo da cerâmica, garantindo que toda a inovação dá continuidade à tradição, numa fusão entre o óleo e a tinta da china; a abstração e a decoração; a cerâmica e a escultura, entre a tradição e as novas linguagens. 

Os curadores desta exposição são Fan Di’an, Presidente da Academia Central das Belas Artes da China, Rosa Goy e Margarida Almeida Chantre, do MAAT.

Esta é a primeira vez que Portugal recebe uma exposição de Bai Ming. Pedro Gadanho, Diretor do MAAT, reforça a importância da exposição: “Num dos mais simbólicos espaços institucionais da Central Tejo, mas também no contexto do recém-inaugurado jardim de um campus em estado de aceleração renovada, acolhemos o importante trabalho de um artista que atualiza e expande a tradição da porcelana, como uma das mais fortes expressões artísticas de um país de cultura milenar”.