Edição
Fernanda Fragateiro dos arquivos, à matéria, à construção

No seu ensaio, Sara Antónia Matos, curadora da exposição de Fernanda Fragateiro, que em 2017 preencheu a galeria Central 2 do MAAT, refere que esta «intervenção, que deve ser lida, segundo as palavras da artista, como “uma janela, que se abre e fecha, sobre os processos de elaboração da obra de arte, convertidos eles mesmos em obra”, revela o seu pensamento em torno da modelação espacial, mostrando uma relação umbilical com a arquitectura e fazendo referência aos domínios da construção e da edição no espaço». Este catálogo abarca o conjunto das obras selecionadas para a exposição, mas expande a seleção, através de reproduções dos trabalhos de Fernanda Fragateiro que George Stolz invoca no seu ensaio. Com estes dois ensaios, o livro publica um conjunto de vistas da exposição realizadas por António Jorge Silva.

 

Edição bilingue: português e inglês.